LIXÕES E ATERROS SANITÁRIOS

CONTINUAR É JOGAR DINHEIRO FORA, PREJUDICAR O

MEIO AMBIENTE E A SAÚDE DA POPULAÇÃO


O Jornal Nacional da Rede Globo de Televisão desse sábado – 27/04/19, trouxe uma reportagem sobre pedido feito pelos Municípios Brasileiros ao Governo Federal, para que prorroguem o prazo de Extinção dos Lixões. O Plano Nacional dos Resíduos Sólidos - Lei 12305 de 2010, deu um prazo de 04 anos para que se eliminassem os lixões em todo País. Já foi feita uma prorrogação e, mesmo assim, após 9 anos, o número de Lixões ainda existentes a céu aberto é assustador: cerca de 3000 mil em todo País, e continuam provocando malefícios à Saúde, além de destruírem o Meio Ambiente.


Assim, essa solicitação deve ser vista, no mínimo como uma grande irresponsabilidade e descaso para com a População brasileira.


O que se viu esses anos todos foi liberação de verbas Federais para que os Municípios elaborassem seus Planos Municipais de Resíduos Sólidos. E a pergunta é: onde foi usada essa verba, se continuam com Lixões? E o pior: há, inclusive, Prefeitos alegando que precisam instalar/usar Aterros Sanitários logo para terem direito a mais verba e muitos nem sequer fizeram o Plano Municipal, o que demonstra que o beneficiado não será o Povo.


E, mesmo os Municípios que já fecharam seus Lixões e agora usam aterros sanitários e tem anunciado “em alto e bom tom”, como é o caso de Alagoas, mesmo esses!!! Não atendem a PNRS. As denúncias são muitas porque sabe-se que aterros sanitários na verdade, são lixões disfarçados. Não há fiscalização eficaz, os catadores continuam trabalhando nesses locais insalubres com suas famílias, e não se garante que haja segurança quanto a preservação do Meio Ambiente, pois já temos denúncias de vazamentos ao lençol freático.


A disposição final de resíduos sólidos em aterros sanitários era considerada antes como a principal solução para evitar danos ambientais. Mas, O PNRS de 2010 é muito claro: é preciso ter uma eficaz Gestão de Resíduos. Eliminar Lixões e usar Aterros Sanitários é apenas mudar de local. O que se precisa é de tecnologias que, de um lado diminuam os resíduos gerados e descartados passando inclusive, por programas continuados de educação ambiental e, de outro lado, que o descarte seja correto, que haja separação, reciclagem e beneficiamento e que se transformem em matérias primas para outras indústrias (e, portanto, geradoras de riqueza) ou produtos finais, para venda ou reuso.


Assim lixões e/ou aterros sanitários estão com seus dias contados e devem ser encarados, definitivamente, como INAPROPRIADOS. O Governo Federal não pode pactuar com esse descaso dos Municípios brasileiros, até porque significará, inclusive, uma grande perda financeira, pois já há um despertar da população e das empresas para busca de alternativas de reuso. Há uma grande mudança na percepção ambiental da sociedade e já se comprovou que quando se joga resíduo sólido (lixo) em aterro sanitário, na verdade estamos deixando de reaproveitar os recursos que muitos deles possuem. O correto descarte, a coleta, a separação seletiva, o beneficiamento e o reuso; tudo contribui para uma imensa geração de riquezas.


Prorrogar prazo de implantação de Aterro Sanitário é jogar dinheiro no lixo!!! Não podemos permitir que levem adiante essa solicitação e precisamos denunciar isso à População nas Redes Sociais e entres nossos amigos, familiares, etc.

Ainda mais porque mais que tudo, as desvantagens já superam as vantagens:


  • Poluição do meio ambiente (contaminações dos lençóis de água por vazamentos);

  • Liberação do gás metano pela decomposição de resíduos orgânicos (agrava o efeito estufa e oferece perigo aos moradores das áreas próximas);

  • Abrigo de transmissores de doenças (ratos, moscas, escorpiões, baratas, etc);

  • Danificação da estrutura nos locais onde estão instalados (estradas, ruas danificadas por veículos pesados).


Por isso o Grupo INER, há muitos anos já vinha desenvolvendo estudos para resolver o problema do descarte correto dos Resíduos Sólidos. Após muito trabalho, foco e dedicação, apresentou, notificando todos os Municípios e Estados Brasileiros no início de 2019, o Sistema INER de Usinas de Resíduos Sólidos, que se já se encontra em fase final de Implantação e que resolverá em definitivo esse problema, sendo capaz de reciclar 100% de todo resíduo sólido (lixo) .Além disso, gerará muitos empregos aos catadores e riqueza para aqueles que investirem nesse Projeto. A esse projeto deu no nome de “LIXO ZERO SOCIAL 10”.


Esse projeto, inclusive, já foi apresentado também ao Governo Federal durante uma semana em Brasília no mês de Março desse ano, quando os Gestores do Grupo INER tiveram audiências em todos os Ministérios (Saúde, Meio Ambiente, Energia, Trabalho, Justiça, entre outros) envolvidos nessas questões e, também, deu ciência a alguns Senadores e Deputados. Assim, é de conhecimento tanto do Governo Federal como Estadual e dos Municípios, que a solução não está em se manter aterros sanitários e muito menos lixões e sim, em entregarem todo Resíduo sólido coletado para essas Usinas, que darão destinação correta sem poluir o Meio Ambiente ou prejudicar a saúde, principalmente daqueles que ainda catam lixo, puxam carroças e sofrem nas mãos de atravessadores (os ferros velhos e depósitos de descartes) que os submetem e humilham.


Fonte: Rede Globo de Televisão, Jornal Nacional – 27.04.2019 - VG Resíduos - “Aterros Sanitários: porque devem ser evitados? – 16.04.2019“

Elaboração/Revisão: Heloísa Souza e Paulécio Alves.

Adaptação: Web Elo Social Acre

22 visualizações

Diretoria de Implantação de Projeto:

Rua Cecília Bonilha nº 145, São Paulo - Capital - (Sede Própria) Telefone: +55 (11) 3991-9919 Todos os Direitos Reservados​ © 2018

"Movimento Passando o Brasil a Limpo"